29/03/14

 Electrodomésticos.

Raros para uns, brinquedos simples e banais param outros.
Nos pais desenvolvidos, quer seja na Europa, ou na América Anglo-saxónica, ter uma maquina de lavar roupa, maquina de lavar louça, frigorifico, televisão, computador, maquina fotográfica, micro-ondas e tantos outros, é quase tão simples como atravessar a rua, o mesmo não se pode pensar em certas partes do mundo, como alguns países da América Latina e nomeadamente Africa, a percentagem de pessoas que tem acesso a estes, “ quase bens de primeira necessidade” consegue ser inferior a 1 % da população residente, o que de devia envergonhar o resto do mundo.
Sabendo da importância que cada um destes equipamentos tem no dia a dia das pessoas que os utilizam, e a contribuição ecológica que representam para o planeta, a sua utilização deveria estar generalizada em todos os pontos do globo habitado, para isso temos que contribuir todos, pois primeiro é necessário construir as infra-estruturas para que os referidos equipamentos possam ser utilizados, pois nunca será possível pô-los em funcionamento sem a chegada da energia eléctrica, agua canalizada, rede de esgotos, um sem numero de condições necessárias para o seu funcionamento.
Também na ecologia os referidos equipamentos tem uma importância extrema. Vejamos alguns, O frigorífico permite conservar os alimentos durante algum tempo sem que estes se deteriorem, eliminando algumas bactérias existentes nos alimentos e não permitindo a sua reprodução, a maquina de lavar louça poupa em media 50% a agua utilizada para a mesma percentagem de louça lavada à mão, não menos importante a maquina de lavar roupa, é fundamental, pois tira um grande esforço físico, poupa uma grande percentagem de agua, elimina factores que provocam doenças, que lavando a roupa à mão não se consegue.
Se a utilização destes aparelhos, se fizesse em todo mundo, á media que se faz por exemplo na Europa, certamente o planeta estava menos poluído, não haveria tanto desemprego, já teriam sido erradicadas certas doenças, em suma tínhamos um mundo melhor.  

Rodrigo Oliveira 
2002
   


Enviar um comentário