11/11/18

Florestar Portugal 2018


Venho cordialmente informar, que a iniciativa   FLORESTAR PORTUGAL 2018, agendada pela coordenação da AMO-Portugal de Amarante para o dia 17 de novembro a realizar- se na freguesia de Vila Chã do Marão, passa por questões de Logística e preocupações económicas e ambientais a realizar-se integrada numa iniciativa comum a varias associações locais com o patrocínio da Câmara Municipal de Amarante, para o dia 24 do mês de novembro, no parque do centenário na freguesia de Ansiães  

Assim sendo conto com a colaboração e participação de todos.

Desta forma solicito á Associação Terra dos Homens, e ao LRAM da Cercimarante que se digne autorizar á semelhança dos anos anteriores a deixarem participar os seus utentes nesta nova data.

Ao município de Amarante solicito que se digne a alterar a data de cedência dos transportes para o dia 24 de novembro e não para o dia 17 como havia sido agendado em tempo devido.

 O horário será informado logo que tenha conhecimento do mesmo.

[RdO1] 

 






“Na sequência do email enviado relativamente à iniciativa “Florestar Portugal 2018” informa-se que, este ano e como forma de dar seguimento à iniciativa Night Run que decorreu, em Agosto, no festival da juventude HÁ FEST! e que abraçou a causa Ambiente, com o apadrinhamento de uma árvore através de um donativo, propôs-se à ADA a plantação dessas árvores assinalando a efeméride.
Assim, foi proposto o dia 24 de novembro para a realização de uma pequena caminhada com término junto à Lameira, seguindo-se uma plantação de árvores autóctones no Bosque do Centenário. Para o efeito solicitamos a colaboração da Associação Desportiva de Amarante para esta iniciativa, da qual aguardamos confirmação.
Assim,  vimos por este meio  convidar V. Exª e a Associação que representa,  a juntar-se a esta iniciativa.

Com os melhores cumprimentos,  
Por delegação de assinatura do  Exmo. Sr. Presidente da Câmara,
A Chefe do Gabinete Técnico Florestal,

Mafalda Maria da Cunha Alves





Não á Barragem de Fridão

http://portocanal.sapo.pt/noticia/169654/?fbclid=IwAR0mc9QfiIU1VNrUDLtPO9FEGX3oyZ3pxam7ZBSbfniXR6x8DtbILwJY4a4

13/10/18

Ovelhinha Gondar Amarante

https://www.facebook.com/municipiodeamarante/videos/1714369132163504/UzpfSTEwMDAxNTU3MTM5MTMwNTo0MzA5OTIxMTA3NjMxNjU/?id=100015571391305&sk=wall

06/10/18

Bombeiros acusados de ROUBAR vítimas de acidente

https://www.publico.pt/2005/03/16/jornal/bombeiros-acusados-de-roubar-vitimas-de-acidente-11428

Bombeiros acusados de ROUBAR vítimas de acidente
LUÍS BRANCO BARROS 
16 de Março de 2005, 0:00
Fonte: Jornal o Publico
Furto de jóias, no valor de 10 mil euros, no decorrer de uma operação de socorro, em julgamento
As alegações finais do julgamento dos dois bombeiros de Amarante, João Fernando Mendes, ex-comandante, e Fernando Fausto Pereira, mecânico, acusados do roubo e receptação, respectivamente, de várias peças em ouro na sequência de um acidente de viação ocorrido no IP4 em Outubro de 2002, foram proferidas ontem no Tribunal daquela comarca. A Procuradoria-Geral da República pediu a condenação de ambos os arguidos, considerando que "não restam dúvidas" quanto aos factos relativos ao acidente, tendo ficado provado que a ofendida, Ana Conceição dos Santos, transportava vários objectos em ouro que terão desaparecido. Apesar de considerar "exígua" a prova produzida relativamente às acusações contra os dois bombeiros, a Procuradora sustenta a sua alegação na credibilidade do depoimento do arguido Fernando Fausto Pereira, a quem foram entregues objectos em ouro pelo ex-comandante, pagando o favor de se ter mantido calado.A advogada da ofendida considera este caso "uma vergonha para os bombeiros", afirmando que "temos que começar a ter algumas dúvidas em como nos entregamos a estes homens", tendo pedido a condenação de ambos os arguidos e o pagamento solidário da indemnização peticionada por Ana Conceição dos Santos. Por sua vez, o advogado do mecânico julga que esta petição deverá ser julgada improcedente, pois não terá ficado provado em tribunal a quantidade de ouro alegada pela ofendida. A lista que esta apresentou "não merece credibilidade", disse o advogado, pois não teve em conta as peças entretanto recuperadas, nem as eventualmente vendidas desde 1997, data das facturas comprovativas da sua compra. Relativamente à acusação de receptação, o causídico afirmou que "só um louco teria inventado uma coisa destas", considerando não estar o seu cliente a mentir, pedindo a sua absolvição. Finalmente, o advogado do ex-comandante disse existir pouca prova e dependente da aceitação da credibilidade de alguns dos depoimentos, que tentou desvalorizar. Na sua opinião, "a prova produzida foi de molde a não implicar" o seu cliente, classificando
o processo como uma "maquinação" perpetrada pela actual direcção da corporação.
"Ficou amplamente provado que não há fundamentos
para condenar o arguido João Fernando", concluiu. A sentença será proferida no próximo dia 1 de Abril. 


23/09/18

Espírito de equipe


Não sou caça troféus  nem quero fazer lamechas , no dia que for fui , cabe aqueles que tem , tiveram e terão o privilegio de privar comigo , mas que onde ser poucos os que como eu estão , estiveram , na disponibilidade para dar o seu melhor em vários momentos, para que tudo corra bem e um dia poder dizer estive ali de corpo e alma , sem filtros , sem hipocrisia e muito menos para receber algo em troca , bem haja quem como eu diz sim.