02/08/13

Educar hoje para recebermos amanha.

Educar hoje para recebermos  amanha.

Que a política perdeu nos últimos anos pessoas de boas intenções é notório de cada vez que se ouvem certos comentadores televisivos. Essa certeza acentua-se.
 Que felizmente ainda há partidos com gente seria também é verdade, pior é que cada vez os tachos são mais difíceis, muito mais cedo a sede do poder zurra pelos poros dos inquietos politiqueiros sem escrúpulos, fazendo esquecer nomes da nossa praça como: Álvaro Cunhal, Almeida Santos, Salgado Zenha, Sá Carneiro, Lucas Pires, Mota Pinto, Eanes, Mota Amaral, Carlos Carvalhas, Mário Soares, Maria de Lurdes Pintassilgo, Odete Santos, Natália Correia, Sousa Franco, Teixeira dos Santos, Paulo Morais, Rui Rio, Luís Sá, Jorge Sampaio etc., etc,.
Esses homens e mulheres fizeram os seus percursos formativos educacionais profissionais e assim singraram na vida nas varias áreas, por esse facto chegaram á politica com o objectivo de darem o seu melhor á vida das comunidades que se comprometeram-se defender pedindo – lhes o voto, uns conseguiram e fizeram no outros não conseguiram mas todos á sua maneira tentaram cumprir, com mais ou menos realismo.
Nos últimos tempos Portugal vive uma crise de valores que com ela trousse também uma crise económica, se olharmos para traz não temos muita dificuldade em percebermos quem são os responsáveis, os que já saíram os que estão e certamente os que viram.
 É cada vez mais notório que gente seria, honesta, gente de trabalho, foge dos partidos políticos como o diabo foge da cruz.
Depois, depois restam – nos uns certo grupo de gente com alguma formação académica, é certo, com licenciaturas de origem duvidosa, que tornaram o insino superior mais negócios do que realmente a prática da sua génese com disciplinas que nem se sabe muito bem para que servem que nunca se aplica em nada o que por lá se aprende.
A experiência de vida é completamente nula, no entanto pendurados no canudo, cedo se filiam nas juventudes partidárias com a lição bem estudada do oportunismo bacoco com uma paralisia tal que a mesquinhez e estupidez leva-os a um grau tal de burrice que temos e devemos recear que esta gente de pseudónimos “jovens qualificados” um dia serão os nossos governantes.
 Sim saí gente bem qualificada e procuram em Portugal e no estrangeiro aplicarem os seus conhecimentos adquirindo outros em vários programas á disposição pelas universidades espalhadas pelo mundo, não, não é a esses jovens a quem me refiro esses não me assustam mas aqueles que das jotinhas recebem a instrução de como singrar sem grande esforço, enveredando pela vida fácil sem ética sem valores, sejam de ordem moral, profissional, politico ou outro, entram pela porta dos fundos em organizações que mal conhecidas dominam as sociedades onde estão implantadas, Opus Dei, Maçonaria, e outras com menos referencia não menos dominadoras e ainda as que se disfarçam de organizações do povo mas são do “polvo ”
Como homens e mulheres, pais, mães, amigos, conhecidos, primos e até vizinhos, antevendo a dificuldade que teremos pela frente para educar e civilizar esta gente que se julga dona da sabedoria e da verdade sem sequer conhecer o real valor das frases “veja se o caso das notas a Português nos exames de enegreço ao ensino superior ” temos o dever de encaminha-los para a realidade.

Sei que o português não é exemplo mas não tive oportunidade de estudar mais.


Enviar um comentário