29/03/14

A Importância da Economia no funcionamento do mundo.

A Importância da Economia no funcionamento do mundo.

É com o poder económico que se estabelece uma ligação entre todas as transacções com todas as outras actividades, sejam do foro pessoal ou profissional, é a especulação económica e o poder da mesma que o mundo gira. “Provérbio Popular” – sem dinheiro nada feito. Se, se trata de um negócio entre pessoas singulares, os negócios fazem-se como. Diz o povo, só com dinheiro na mão. Quando se, trata de empresas as regras de mercado são bem mais complexas, as transacções comerciais são executadas com cheques, letras, ou outras formas de pagamentos o que não quer dizer que o dinheiro liquido não seja valido, bem pelo contrario, fala ainda mais alto, outra expressão não menos popular.
Para que as empresas controlem os seus ganhos ou prejuízos, pagamentos, dividas, créditos, são criados dentro das mesmas departamentos especiais para o efeito, designados departamentos Financeiros, de Contabilísticos, de Gestão, de Tesouraria ou de Finanças. Existam, todos, alguns ou um só, regra geral são compostos por funcionários altamente qualificados, para que as empresas cumpram os seus objectivos, nomeadamente Lucros.
O que nem sempre acontece por vezes as empresas acumulam prejuízos avultados o que em casos extremos levam essas empresas a decretar falência, lançando muitas pessoas no desemprego. Uma praga social que nos últimos anos se tem vindo a denotar, são exemplo disso, as grandes multinacionais, dos sectores da Banca, dos Seguros, do sector Automóvel, da Aviação, da Electricidade, dos Transportes, do Medicamento, da Industria da Construção civil e obras publicas, de um modo geral todos os sectores são atingidos.
O que dá origem as situações bem complicadas aos governos dos países atingidos com grande números de pessoas desempregadas.
Para melhor responderem a tais problemas, houve necessidade dos países se juntarem e discutir entre eles, soluções para minimizar os efeitos provocados por esta chaga.
Como se calcula não serve os interesses de ninguém, uma nação com muito desemprego é uma nação pobre, e fica sujeita ás regras dos mais fortes, tais como, a contratação dos seus quadros técnicos altamente qualificados, com salários mais baixos dos praticados nos países de origem, contraem empréstimos financeiros com juros muitos elevados, com as consequências danosas que daí a devem.

Rodrigo Oliveira 
2001

       



Enviar um comentário