29/03/14

Imaginação Alcoólica.

Imaginação Alcoólica.

Subi a escada do hotel, entrei no quarto errado, o número, a hora tardia ou simplesmente os copos bebidos durante a estadia, vou acreditar na coincidência do destino.
Deparei com a mulher mais bela, mais linda, a mulher que já mais imaginei existir, a princípio ajustei-me com o erro cometido.
O olhar malicioso e sorriso intenso que solaras-te serenaram o meu instinto melancólico de um bêbedo corado.
Cambaleando deixei cair, um desculpe lá, e saí.
O teu quarto de hotel, tornou-se na catedral dos meus sonhos, o teu corpo no meu horizonte a explorar.
A madrugada, de curtas horas tornou-se num inatingível momento sem fim.
 Cada hora transformou-se num século de anos-luz, queria mais que nunca, que o dia raia-se na janela do quatro, e os teus passo se transformassem no tique tac despertador do meu sonho tornado que acabou doloroso, porque afinal não existias.

Rodrigo Oliveira

 2000
Enviar um comentário