17/08/12


Roubo de ouro no IP4 em tribunal
Publicado em 2005-03-04

 30 1 0
O ex-comandante dos Bombeiros Voluntários de Amarante, João Fernando Mendes, que está a ser julgado pelo roubo de uma quantia indeterminada de ouro, durante as operações de socorro a um acidente de viação no IP4, em 2002, solicitou à juíza uma certidão, para que possa "processar criminalmente" o presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros, Ilídio Pinto.
A defesa de João Fernando Mendes fez o requerimento, anteontem, durante a segunda sessão do julgamento. Em causa está uma carta que Ilídio Pinto escreveu ao tribunal.
Recorde-se que na primeira sessão o ex-comandante havia dito que a acusação que recai sobre si é resultado de uma "santa aliança" entre o presidente da Direcção e o mecânico da corporação, Fausto Pereira, para o afastar das funções de comando.
A iminente instauração do processo-crime a Ilídio Pinto é mais um capítulo na batalha jurídica que está há muito instalada entre a Direcção da Associação Humanitária e elementos que estão, ou já estiveram, ao serviço da corporação. O JN apurou que em curso, no Tribunal de Amarante, estarão a correr pelo menos oito processos que envolvem os bombeiros.
Quanto ao julgamento do ouro roubado no IP4, a próxima sessão está marcada para dia 15. João Fernando Mendes é acusado da autoria moral de um crime de furto qualificado, enquanto que Fausto Pereira está a ser julgado pelo crime de receptação. O valor do ouro entregue às autoridades está avaliado em 800 euros, mas a vendedora ambulante de ouro, Ana Santos, diz que apenas uma pequena parte foi recuperada. O valor total do roubo rondaria os 2500 euros. António Orlando


Enviar um comentário