29/03/14

Historia de via Antena Um

Amarante, 12 de Outubro de 2006  

Depois de muitos telefonemas e telefonemas, sítios e mais sítios parques de campismo e mais parques, lá decidimos ir de ferias para Caminha, sinceramente não me passava pela cabeça onde ficava tal terra mas a minha namorada da época essa sim conhecia Portugal de norte a sul para onde decidisse eu lá ia, chegado ao dia marcado lá embarcamos nos para uma terra a qual eu nem de nome conhecia, a não ser quando a minha mãe dizia menino «caminha, caminha» de resto nem pó.
Talvez 1 ou 2 de Agosto do ano de 1985 0u 86 de casa as costas e de comboio pois o dinheiro não dava para mais.
Amarante, Livração, Ermesinde e finalmente Caminha demoramos ai umas 10 horas de viagem, uns metros de novo com a casa as costas e pronto o Centro de Caminha. Parei, olhei e espantado, exclamei! Mas eu já cá estive, só pode ser sonho, não me lembro bem ali ao lado daquele arco há uma tasca, até vou ver e fui, e lá estava a tasca, recordo-me de ali naquele palco estar a tocar o maestro Vitorino de almeida e até dedicou uma musica a um homem do norte cujo nome não me lembro, mas lembro-me ter dito que era de Amarante… e claro retorquiram todos em coro este esta a delirar.
 Alugamos 2 táxis e lá fomos para o parque de campismo, depois das barracas montadas já a noite estava fria resolvemos vir jantar ao centro histórico de caminha, por volta das 22 horas já depois de jantados, chegamos junto do palco para espanto de toda a gente quem actuava era ele mesmo Maestro António Vitorino de Almeida, mas olhar de maior espanto foi mesmo quando ele dedicou a musica ao amigo de Amarante…
 Teria eu estado mesmo lá? É coincidência? Certo é que 20 anos depois ainda não sei explicar o que se passou.

Rodrigo Oliveira
Amarante


Enviar um comentário